quarta-feira, 29 de abril de 2015

Saúde & doença em Nietzsche são temas de simpósio que ocorre dia 05/05



O evento, uma parceria entre o Icict/Fiocruz e o IMS/Uerj, é voltado para alunos de pós-graduação e pesquisadores interessados na articulação entre saúde coletiva e filosofia








O filósofo alemão Friedrich Wilhelm Nietzsche durante a sua fase produtiva - até os 44 anos - escreveu vários textos críticos sobre religião, moral, cultura contemporânea, filosofia e ciência, utilizando metáforas, ironias e aforismos. Sua trajetória foi interrompida por uma sífilis terciária (ou paralisia geral progressiva) e por outras enfermidades que o atingiram progressivamente até a sua morte.

Para rever o entendimento tanto da própria doença que acometeu o filósofo alemão, quanto da questão saúde-doença em sua obra, tentando reunir contribuições relacionadas com a saúde e a doença na vida, obra e crepúsculo de Nietzsche, o Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict), em parceria com o Instituto de Medicina Social, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IMS/Uerj) e o Grupo de Pesquisa Nietzsche-gambiarra/Fiocruz realizará, dia 5 de maio, terça-feira, de 13h às 19h, o simpósio “Frederico furioso: saúde & doença em Nietzsche”.

A abertura será feita pelo filósofo Francisco Ortega (IMS/Uerj), seguida de três mesas redondas: “Diagnósticos atuais da enfermidade”, com Charles André (UFRJ), André Rangel Rios (UERJ-IMS) e Rossano Cabral (UERJ-IMS). Às 14h30, “Saúde, doença e patografia”, com José Nicolau Julião (UFRRJ), Rogério Henriques (PUC–PR), Carlos Estellita-Lins (Icict/Fiocruz) e Luciano Monteiro (Casa de Oswaldo Cruz – COC/Fiocruz) e, por último, “Cultura, sofrimento e dor” – que começará às 16h, contará com Charles Feitosa (UNIRIO), Arlinda Moreno (Ensp/Fiocruz), José Thomaz Brum (PUC–RJ) e Rosa Maria Dias (do Programa de Pós-Graduação em Filosofia – PPGFIL/Uerj.

A partir das 17h30, serão exibidos filmes que falam de Nietzsche, de cineastas como o brasileiro Julio Bressane (“Dias de Nietzsche em Turim”, 2001), o alemão Hans-Jürgen Syberberg (“Nietzsche’s Frohliche Wissenschaft”, 1999), o francês Jean Rouch “Dionysus”, 1986), o também brasileiro Fáuston da Silva ("Meu amigo Nietzsche", 2012), além dos programas Porta dos Fundos (“Testemunha de Darwin”, 2015) e do videoarte do grupo Gambáfugiu (“Rosaas 1, 2 & 3”, 2011).

Pesquisador do Icict, Carlos Estellita-Lins, em entrevista ao site do Instituto, falou sobre o simpósio e o que abordará em sua apresentação. Leia aqui.

O simpósio “Frederico furioso: saúde & doença em Nietzsche” acontecerá no anfiteatro do 6º andar, do Instituto de Medicina Social, da Uerj, que fica na Rua São Francisco Xavier, 524, Pavilhão João Lyra Filho, Bloco E, no Maracanã. A entrada é gratuita.

Serviço
Evento: Simpósio “Frederico furioso: saúde & doença em Nietzsche”
Mesas redondas: “Diagnósticos atuais da enfermidade”, “Saúde, doença e patografia” e “Cultura, sofrimento e dor”, além de curtas, filmes e vídeos
Data: 5/05/2015 – 3ª. Feira, de 13h às 19h
Local: Anfiteatro do 6º andar, do Instituto de Medicina Social, da Uerj, que fica na Rua São Francisco Xavier, 524, Pavilhão João Lyra Filho, Bloco E, no Maracanã.
Inscrições: Limitadas - Entrada gratuita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário